Antigo freio de ferro com "coscoja" e copas de prata e ouro.

Raro cunho de cuteleiro inglês em lâmina de antigo facão.







 Detalhe na lateral de um fiador de prata e sóga.
 Detalhe em uma testeira de prata.


 Faca Scholberg Joucla e Silva estilo "lingua de  chimango" com cabo e baínha de prata burilada e cinzelada.


fotos e textos: Rodrigo Lobato Schlee Antigo peitoral de prata e ouro com o cunho do prateiro "Rossi" (detalhe abaixo).





Rebenque com cabo de prata cinzelado e monograma em ouro.



Esporas de prata com detalhe de ouro na flor das correias de malha.


Antigo arreador colonial em prata, com o formato de uma "pata de cavalo". Sua forma de "L" ou de "gancho" tradicional dos antigos relhos arreadores" tinha também a função de puchar o laço da cabeça de uma animal laçado no campo, livrando-o do laço que o apreendia.


Freio de prata alemã com a figura da "águia prussiana".








Antiguíssimo arreador de prata com a figura de uma mulher deitada de costas.
fotos:Rodrigo Schlee
Faca marca SCHOLBERG & Cia A PELOTAS, com impressionantes 35cm. de lâmina e 12cm. de cabo. Acima os cunhos com a marca na baínha e lâmina.
Belíssimo trabalho de ourivesaría com motivos em estilo neo-clássico.

Peça pertencente a família Jacob Schned à três gerações.
Faca Scholberg Joucla Pelotas (Coqueiro) com raro cabo de madrepérola rosa.

Baínha de prata burilada e cincelada.
fotos: Rodrigo Schlee


"Rebenque" de argola com passadores de prata e trançado com tentos de "lonca de potro" feito por Antônio Dias o "Nico" Dias (bisavô do autor do blog) em Pedras Altas-RS na Estância Velha a mais de 100 anos. Abaixo as esporas com correias de malha de prata que pertençeram ao seu "apero".
fotos: Fernanda Valente de Souza







Prataria gaúcha, facas, aperos e pilchas crioulas.

Pesquisa, texto e fotos: Rodrigo Lobato Schlee e Fernanda Valente de Souza


Perna de estribo de picaria com o cunho "GERMANO BERG&Cia PELOTAS, tradicional firma pelotense que atuou no comércio de aperos na segunda metade do séc.XIX.


Antigo "rebenque" com cabo de prata cinzelado e finíssimo trançado com tentos de lonca, (trança de sabugo de aprox. 100 tentos), trabalho de mestraços da prataria e guasqueria riograndense de outros tempos.

Cunho da Firma "RECH & Cia PELOTAS" fabricantes e importadores de artigos de prata alemã, prataria fina e peças de montaria, encerraram suas atividades na segunda década do séc. passado.
Abaixo a "cana de loro" com o cunho "RECH & Cia Pelotas" e a inscrição que designa o material do qual é feita "METAL BRANCO GARANTIDO".


Cabo de "relho arreador" de prata (período colonial), com a tradicional figura da "mulher nua" .

J.P. FERREIRA PELOTAS, antigo fabricante de peças de prataria para uso urbano e rural como esporas, relhos, florões de peitoral e rabicho, estribos e outros que eram comercializados no próprio estabelecimento do fabricante e em outros comércios de toda a provincia. Sobreviveu ao declínio das charqueadas mas acabou encerrando suas atividades quando da quebra do Banco Pelotense no final da década de 30 do séc. passado, quando a economia da região foi sériamente afetada.
Abaixo uma "chapa de serigote" de prata com o cunho J.P. FERREIRA.

Detalhe de facão caroneiro com o cunho Oriental "El Uruguayo"



Detalhe do arco de um "estribo de picaria" de metal branco com o cunho Scholberg & Gadet A. Pelotas.

Acima e abaixo uma "cana de loro" com o cunho "SCHOLBERG A. GADET A. PELOTAS"


Acima e abaixo, um mesmo estribo com dois cunhos, um em cada lado do arco, em um lado o cunho com o desenho do "coqueiro"seguido da inscrição "A. PELOTAS" e no outro o cunho "DÉPOSÉ" oriundo de um fabricante europeu fornecedor de peças para a SCHOLBERG, dona da marca com o desenho do coqueiro e com estabelecimento em Pelotas, Montevideo e Rosário ARG. lá com o cunho "Broqua Scholberg" e o desenho do "sol".

Abaixo o cunho da empresa Eberle, fundada por Abramo Eberle com a conhecida marca com o desenho da "piteira" que muitos chamam de "corneta". Tornou-se grande fabricante e exportador com lojas em vários paises, a qualidade de seus produtos era tanta que ainda hoje é possível ver-se algumas de suas peças como argolas estribos e fivelas sendo usadas diariamente.


Imagens de uma típica bomba de "chimarrão" em prata 800 que pertenceu a Antônio Maria Valente.

Detalhe do cunho "Coco" em uma fivela de "prata alemã".


"Diogo Pires Filho e Sobrinhos" uma família de "ouríves" que deixou marcado seu nome na história da "prataria riograndense" do séc. XIX.

Acima o raro cunho do "prateiro" Pelotense.

Estabelecidos em "Pelotas", produziram artigos destinados ao homem do campo, como aperos de prata, preparos chapeados, facas, relhos, lombilhos, chapas de serigote, bombas, cuias e uma infinidade de artigos cobiçados por gaúchos de toda a "campanha".

Seus clientes eram na maioria das vezes, "estancieiros e tropeiros" que traziam gado de todas as partes do estado para negociar na "tablada" com os "Charqueadores". Depois de entregue a "tropa", com os cobres na "guaiaca", a "Loja Ourives" do Sr Pires era ponto certo da gente campeira daquela época, ávidos por novas pilchas e embelezar seu "Pingo" com aperos de prata.

Acima na antiga fotografia o sobrinho e sócio do fundador em sua histórica Loja situada na Rua 15 de Novembro em Pelotas, até as primeiras décadas do séc. XX.

Acima e abaixo algumas peças com o cunho de Diogo Pires e Sobrinhos
.


Acima e abaixo detalhes da "perna de freio" com o cunho GOTTWALD & Cia. de Caxias do Sul fabricantes de artigos em prata e "alpaca" para montaria e outras utilidades.


Cabo de Relho com um cunho "Eglington Waslali" o material é prata alemã.

Bomba de mate desmontável, com a marca argentina "La mulata".